“A água em si não vai acabar, mas como recurso hídrico em condições de uso para várias atividades pode diminuir cada vez mais”, diz mestre em Recursos Hídricos em curso de Produção e Reuso da Água

Foi promovido nos dias 09 e 10 de julho pelo CAT Sorriso, em parceria com a Prefeitura Municipal, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Sorriso o Curso de Produção e Reuso da Água, proferido pelo engenheiro agrônomo e mestre em Recursos Hídricos Décio Siebert, que avaliou positivamente a participação do público presente “Estou muito feliz com o nível de participação, isso permite que as discussões se deem em alto nível. Tivemos profissionais de várias áreas participando produtores, estudantes, e isso é muito bom. Estou muito satisfeito porque isso permite que as informações que a gente trouxe sejam absorvidas pelos presentes como também há a participação dos presentes em termos de questionamentos e até de sugestões em relação a alguns assuntos”.

O curso foi voltado a produtores, engenheiros, técnicos, estudantes e até donas-de-casa e teve como objetivo mostrar a importância da conservação e formas de reutilização da água em diversas atividades econômicas e para fins domésticos. Confira a entrevista:

Porque é tão importante cuidarmos da água?

D.S. “Uma das principais razões é que a água é essencial em todas as atividades que se pensar em desenvolver. Além da nossa necessidade como ser humano, todas as formas de vida dependem da água, assim como todas as atividades econômicas que estão sendo desenvolvidas, ou que se pretende desenvolver depende da água. O Estado de Mato Grosso que é o maior produtor nacional de grãos, de algodão, de gado de corte e ainda tem muito espaço para crescer, mas a gente só vai conseguir alcançar esse crescimento desejado se tivermos uma maior quantidade de água. Porque nós temos um espaço de quatro meses que não temos chuva, nesse período nós só conseguimos produzir se tivermos disponibilidade de água para irrigar as nossas culturas. Então por isso que é tão importante que se consiga desenvolver trabalhos com vistas ao aumento da disponibilidade hídrica”.

Existe água em abundância nos rios, lagos, oceanos, água das chuvas. A água pode acabar um dia?

D.S. “A água não vai acabar. O que pode acabar é o recurso hídrico. Dá para imaginar que água e recurso hídrico sejam a mesma coisa. Não é. Água só é um recurso hídrico, enquanto ela estiver em condições de ser utilizada para o desenvolvimento de alguma atividade ou para o suprimento das necessidades do ser humano e dos animais. Então quando a água estiver poluída, quando a água não estiver em condições de uso, ela não é um recurso hídrico.  O ciclo da água vai continuar acontecendo e a água em si não vai acabar, no entanto o recurso hídrico que está disponível para nós, cada vez mais tende a diminuir, porque no momento em que não ocorrer a infiltração da água para o lençol freático de onde saem as nascentes, o nosso recurso hídrico disponível para suprimento das nossas necessidades tende a diminuir cada vez mais”.

Regiões, como por exemplo, o Nordeste sofrem com a seca. Mato Grosso se não tomar cuidado poderá também sofrer essas consequências?

D.S. Não só pode como já está sofrendo. Nós temos dois exemplos de municípios do Estado de Mato Grosso que têm problemas de falta de água para abastecimento público. Nós temos Tangará da Serra e o município de Mirassol d’Oeste. Os dois municípios que no período de estiagem têm dificuldades de atender a população com o abastecimento público. Isso não pode ser entendido como uma crise hídrica e sim uma crise de gestão do recurso. Não é aceitável onde temos uma precipitação média anual de um 1900 mm faltar água. Essa água da chuva não está sendo devidamente aproveitada para garantir que ela possa ser um recurso hídrico, para ficar disponível para o atendimento do abastecimento público. Tangará da Serra já viveu dois anos de desabastecimento, inclusive caminhões-pipa da Defesa Civil tiveram que fornecer água para a Cidade. Isso foi  em 2013 e 2016”.

É necessária uma conscientização geral da população, empresários, industriais e governantes para com os cuidados com a água?

D.S. “Tanto no cuidado em termos de qualidade, quanto no aproveitamento para termos maior quantidade. Quando chove, nós devemos aproveitar essa água e criar mecanismos simples que estão disponíveis para fazer com que essa água da chuva se infiltre no solo e venha a recarregar o lençol freático para ela estar disponível no período em que não chova. O rio enche quando chove porque a água não infiltra no solo Ela escoa e vai tá dentro do leito do rio, carrega vários sedimentos, carrega contaminantes para dentro do rio, quando para chuva volume de água do rio ou a vazão do rio diminui. O que precisa ser feito é realimentar os pontos de infiltração da água da chuva no solo para levar água das chuvas até o lençol freático e onde que sai as nascentes dos rios”.

Qual a importância de se evitar desperdícios e ter a consciência da reutilização da água?

D.S. “Nós temos ainda um desperdício muito grande. Nós vemos nas casas, por exemplo, porque se canaliza a água do banho para fossa séptica ou para rede de esgoto da cidade? Essa água do banho é uma água limpa, porque nós não fazemos um sistema simples de canalizar essa água para a descarga do vaso sanitário, que gasta em média dez litros de água limpa tratada? Podemos utilizar a água do tanque ou da máquina de lavar roupa para lavar calçada. Por que não construir pequenos mecanismos para captar a água da chuva e utilizar essa água para essas atividades? Além de fazer uma maior produção de água, através da recarga do lençol freático, existem várias outras formas de se fazer isso a nível doméstico e também em nível de propriedades rurais. Temos exemplos onde produtores coletam grandes quantidades de água da chuva e utilizam para suas necessidades de inclusão na fazenda. Então existem várias maneiras para que isso possa ser feito. O que precisa é vontade, determinação e um pouco de visão além do nosso dia-a-dia, do cotidiano que a gente pratica”.

O CAT Sorriso agradece a todos os parceiros na realização do curso de Produ“A água em si não vai acabar, mas como recurso hídrico em condições de uso para várias atividades pode diminuir cada vez mais”, diz mestre em Recursos Hídricos em curso de Produção e Reuso da Águação e Reuso da Água, a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, o Sindicato Rural, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, a direção da Escola Matilde Zanatta, do Assentamento Jonas Pinheiro e ao Palestrante Décio Eloi Sibert.

Para saber mais sobre os projetos desenvolvidos pelo CAT Sorriso acesse o site: www.catsorriso.com.br. O CAT funciona em sala anexa ao Sindicato Rural de Sorriso, na Marginal Esquerda, 1415. Telefone: 3544 -3379.

Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: