Esteticista abandona a profissão para se dedicar à produção de orgânicos

Maricilda Ludwig Carvalho recebeu em sua propriedade produtores que fazem parte da APOS – Associação dos Produtores de Orgânicos de Sorriso em uma visita técnica para conhecerem a propriedade e, também promoverem a troca de experiências, sob a orientação do consultor em Agroecologia do SEBRAE, Glaucinei Realto. Ela explanou como ingressou na atividade rural, sua vontade de lidar com a terra e de maneira orgânica para se alimentar de produtos mais saudáveis e poder proporcionar isso também a outras pessoas.

Maricilda mostrou sua propriedade aos associados e apresentou tudo aquilo que produz e de que forma “Fizemos um roteiro, passando para conhecer as plantações, os produtores puderam perguntar aquilo que tinham dúvidas. Explicamos tudo a eles, como é todo o processo passo a passo. E a gente tem uma produção aberta para qualquer pessoa, que tiver interesse poder vir conhecer”.

Maricilda, que trabalha na propriedade com a ajuda da família, contou que saiu de uma cidade grande no Sul do País, e que abandonou a profissão de esteticista, com bom salário, para se dedicar à lavoura e à produção de orgânicos. Ela disse que vem de uma família que já era acostumada a lidar com a terra e que seu esposo também já tinha experiência. “Foi uma mudança de vida muito grande, mas era uma coisa que estava faltando dentro do meu ser. Eu precisava de algo para evoluir. E eu acho que a evolução foi bem-vinda. Eu buscava uma vida mais natural, sair daquela vida sedentária, daquela loucura de trabalho intenso. Hoje nosso trabalho também é muito intenso, mas é de uma forma diferente, gratificante, porque não é só dinheiro que faz a diferença na vida da gente. Me sinto muito feliz e honrada com a nossa produção e procurando cada vez mais aumentar”.

Na propriedade se planta de tudo um pouco, hortaliças, verduras, legumes, temperos, mas também tem plantas frutíferas como mamão, coco, acerola, citrus, milho verde, mandioca, cana, banana, pitaya e até uma fruta exótica, que chama muito a atenção de quem vê, da família do chamado ‘Melão de São Caetano’, como popularmente é conhecida, só que bem maior e com sementes grandes e vermelhas. “Quando a gendte leva para a feira, chama muito a atenção, todos que passam querem ver e tocar, matar a curiosidade”.

Na pequeno sítio, localizado no Assentamento do Projeto Casulo, também existem galinhas poedeiras, porcos e algumas cabeças de gado bovino leiteiro, procurando diversificar o máximo a produção para garantir a diversidade “Nós precisamos de diversidade, quantidade também, mas o quanto mais diversificado melhor. Também existe um tanque, que é utilizado para a irrigação, onde pretendemos criar peixes. Tem uma produção pequena de frango e vaca de leite. É uma cadeia, é um ciclo, um suprindo o outro. Com isso, tornei minha alimentação mais saudável e de outras pessoas. Nesse ponto que a gente faz questão que o consumidor venha conhecer e saber de onde está vindo a produção e de que forma está sendo produzido”.

Maricilda afirmou que é imprescindível o trabalho de consultoria prestado através do Projeto “Agroecologia”, desenvolvido por meio de uma parceria entra a Prefeitura, o CAT e o Sebrae. “Essas parcerias são muito importantes, é o que nós precisamos cada vez mais para melhorar e para produzir cada vez mais. O CAT nos tem dado um apoio muito grande desde o princípio. Depois a Prefeitura e o SEBRAE dão sempre uma força boa né. Então eu acho que a parceria sempre é muito bem-vinda. A orientação é necessária para melhorar cada vez mais a produção, porque assim tem muitas coisas novas que vem, mais tendências e a gente precisa de acompanhamento sim. Nós precisamos de mais produtores que queiram produzir de uma forma correta para a gente poder ter quantidade, além da diversidade.

O projeto “Gente que Produz e Preserva”, do Clube Amigos da Terra, o CAT, é desenvolvido em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE-MT), Prefeitura Municipal com apoio da WWF Brasil. Mais informações podem ser obtidas junto ao CAT Sorriso – que fica localizado em sala anexa ao Sindicato Rural de Sorriso. Telefone 3544 – 3379.

Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: