Produtores de Sorriso conquistam selo nacional de produto orgânico

Depois de dois anos em processo de conversão da produção convencional para a orgânica, produtores de Sorriso-MT, conseguiram junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o selo Nacional de Produto Orgânico. Agora o grupo, formado por 4 produtores, amplia as possibilidades de vendas antes restritas ao comércio direto com o consumidor.

Com o certificado de conformidade orgânica, os produtores ficam autorizados a comercializar, frutas, hortaliças, olerícolas, temperos e grãos para supermercados, lojas, restaurantes, hotéis, indústrias, internet, feiras e ainda a merenda escolar.

Os produtores fazem parte do projeto de Agroecologia do Clube Amigos da Terra, o CAT Sorriso. Os participantes são pequenos agricultores dos assentamentos Jonas Pinheiro e Casulo. Todos recebem acompanhamento técnico e aprendem conceitos da agroecologia como a rotação de cultura, compostagem, adubação verde, iscas naturais, caldas alternativas e cobertura de solo com sistema mulching. A ideia é que os produtores avancem para sistemas mais produtivos e sustentáveis e ainda potencializem os seus negócios.

O projeto também estimulou a criação da Associação dos Produtores Orgânicos de Sorriso (APOS). Ela contribuiu para organizar o grupo e facilitar a certificação por auditoria. As propriedades passaram por inspeções, seguindo procedimentos básicos estabelecidos por normas reconhecidas internacionalmente e, claro, adequadas à legislação brasileira.

Com a certificação os alimentos terão um padrão de embalagens e o selo que garante a procedência orgânica. Para o engenheiro agrônomo do CAT, Rafael Borges, o selo é um marco no projeto. “Nossos produtores são os únicos da região com o selo nacional. É uma vitória para eles e para nós do CAT”, comemorou.

O consultor do Sebrae, Glaucinei Bristow Realto, acredita que a formalização da associação e a mudança de técnicas de produção contribuíram para que os produtores ampliassem o mercado e conseguissem o selo. “O produtor de orgânico tem prioridade em licitações públicas e está conquistando cada vez mais o paladar das pessoas que se preocupam com a saúde e o meio ambiente”, concluiu.

O grupo também pretende buscar recursos financeiros municipais, estaduais, federais e privados para melhorar a cadeia produtiva; elaborar e executar projetos que tenham como objetivo apoiar a produção sustentável, divulgação e aproximação dos consumidores com os produtos da agricultura familiar prioritariamente de seus associados.

A produção orgânica é resultado de muito trabalho e dedicação dos técnicos e dos produtores. Além de mudar o sistema de produção, o produtor Gilberto Carlos Gerevini, também mudou os próprios hábitos alimentares. “Quando entrei no projeto eu não acreditava que era possível produzir sem o uso de produtos químicos. Hoje além de produzir eu só consumo produtos orgânicos”, afirmou o produtor.

Em 2018 os técnicos vão continuar acompanhando o trabalho dos produtores que estão em processo de conversão. Também pretendem monitorar os produtores orgânicos e implantar novas técnicas de acordo com a evolução do grupo. A ampliação do projeto depende de novas parcerias.

O projeto “Gente que Produz e Preserva”, do Clube Amigos da Terra, o CAT, é desenvolvido em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE-MT) com apoio do WWF Brasil e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

Contato

Produtores que queiram fazer parte do projeto e parceiros interessados em apoiar a iniciativa podem entrar em contato com o Clube Amigos da Terra pelo telefone (66) 3544-3379. Informações também podem ser obtidas pessoalmente no CAT que fica na sala anexa ao Sindicato Rural de Sorriso.
Visite também o nosso site www.catsorriso.com.br

Rolar para cima
%d blogueiros gostam disto: