Operadores de máquina participam de curso de aplicação autopropelido

Colaboradores de fazendas certificadas e em processo de certificação em Sorriso-MT, participaram na última semana do curso de aplicação de agrotóxico utilizando pulverizador autopropelido. Promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, (Senar-MT) em parceria com o Sindicato Rural e o Clube Amigos da Terra (CAT Sorriso), o objetivo é levar conhecimento aos operadores de máquina para um melhor aproveitamento sem desperdícios.

O engenheiro agrônomo, consultor do Senar-MT, Tiago Manhaguanha, destaca duas principais vantagens da capacitação: técnica e legal. “Quando o Ministério do trabalho fiscaliza uma propriedade ele exige que o trabalhador tenha capacitação voltada para o tipo de serviço que ele executa. Na parte técnica a aplicação eficiente reflete em economia e em produtividade”.

O curso, de 40 horas, abordou temas como:

  • Ética e Cidadania;
  • Segurança e Saúde no trabalho;
  • Meio Ambiente;
  • Definição e identificação de agrotóxicos;
  • Classificação dos agrotóxicos;
  • Toxicologia;
  • Condições meteorológicas;
  • Equipamentos de Proteção Individual;
  • Tipos de pulverizadores e pulverizações;
  • Componentes do Equipamento de pulverização;
  • Lavagens das embalagens e Tríplice lavagem;
  • Armazenamento;
  • Transporte de Agrotóxicos e Aquisição de Agrotóxicos.

O operador de máquina, Deivis Scheeren, veio de Gaúcha do Norte-MT, para participar do curso. Ele trabalha na função há um ano e acha a atualização necessária. “Os equipamentos evoluem e nós que operamos as máquinas precisamos estar sempre atentos as novas tecnologias”.

Quem também veio de longe foi o trabalhador Everson César dos Santos. Ele trabalha na fazenda Cambará em Porto dos Gaúchos-MT. Participando do curso pela primeira vez, ele não vê a hora de colocar em prática o que aprendeu. “A gente acha que sabe muito mas no curso percebe que tem muito a aprender. Foi muito bom ter vindo até aqui.”

Os pulverizadores autopropelidos, também chamados de pulverizadores automotrizes ou autopropulsados, são máquinas muito rápidas, de alto desempenho, que conseguem desenvolver velocidades operacionais entre 15 e 30 km/h durante a aplicação de agroquímicos.

A cabine é fechada, para impedir a contaminação do operador pelo produto químico. Cada vez mais modernas, as máquinas proporcionam visibilidade, espaço, conforto e facilidade no controle dos sistemas eletrônicos.

As barras de pulverização podem ser instaladas na parte traseira ou na parte frontal dos pulverizadores autopropelidos. Possuem total acionamento hidráulico com sistema auto-nivelante e medem entre 15 até 48 metros de comprimento.

Cada vez mais novas tecnologias estão no mercado para tornar os pulverizadores autopropelidos ainda mais eficientes e precisos nas operações de aplicação de agroquímicos. Dentre essas tecnologias podemos citar os sistemas de injeção direta de agroquímicos, pilotagem automática do equipamento na aplicação, sensores para detecção de plantas daninhas, sensores para aplicação de nitrogênio, sensores para controle da altura da barra de pulverização e sistemas eletrônicos para seleção de pontas de pulverização em função das mudanças climáticas.

O Curso de Aplicação de agrotóxico utilizando pulverizador autopropelido é uma das exigências do processo de Certificação da Soja do Projeto “Gente que Produz e Preserva”.

Apoio:

O projeto “Gente que Produz e Preserva”, do Clube Amigos da Terra, o CAT, está sendo desenvolvido em parceria com a WWF Brasil.

Rolar para cima
%d blogueiros gostam disto: