Estação meteorológica é doada por projeto francês para fazenda certificada em Sorriso

Temperatura, umidade, velocidade do vento e quantidade de chuva. Dados que serão registrados a partir de agora pela estação meteorológica, instalada na Fazenda Santana, em Sorriso – MT. O equipamento foi doado para a propriedade no ambito do projeto europeu ODYSSEA em troca das informações que vão embasar uma pesquisa da Universidade de Rennes 2 (França) e do Centro Nacional de Pesquisa Cientifica Francês (CNRS) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a Embrapa, sobre as Dinâmicas Ambientais na Amazônia.

Os proprietários da Fazenda, Dudy Paiva e Luis Fernando Paiva, assumiram o compromisso de uma vez por mês encaminhar os dados por email para o Centro Nacional de Pesquisa da França. O geógrafo, Damien Arvor, conta que em Mato Grosso serão instaladas 8 estações e os dados vão se juntar as informações obtidas pelo satélite. “Além de nos ajudar a traçar um histórico do clima na região o produtor também vai poder se beneficiar dos dados para o plantio, aplicações e colheita”, Afirmou o pesquisador.

Para a pesquisadora da Embrapa Agrosilvipastoril de Sinop, especialista em tecnologia no campo, Laurimar Vendrúsculo, todos os dados são importantes para alimentar sistemas de informação. “Varias atividades de manejo do produtor são baseados no clima, na velocidade do vento. É um equipamento de fácil instalação e o custo é baixo se comparado ao benefício que traz ao produtor“, disse a pesquisadora.

A instalação do equipamento foi acompanhada pela equipe do Clube Amigos da Terra, o CAT Sorriso, pesquisadores da Embrapa Agrossilvipastoril de Sinop e da Embrapa Solos do Rio de Janeiro que também visitaram a fazenda para a parte prática do projeto Geo ABC. O projeto une cientistas brasileiros e franceses com o objetivo de avaliar como imagens de satélite podem ser utilizadas no monitoramento dos sistemas de produção agrícolas envolvidos no Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas para a Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura (Plano ABC).

Liderada pela pesquisadora Margareth Simões, O projeto Geo ABC, trabalha no desenvolvimento de metodologias para o monitoramento do uso da terra baseado em imagens de satélite e técnicas de sensoriamento remoto. “Um dos nossos objetivos com o GeoABC é desenvolver procedimentos metodológicos para identificação de sistemas de produção e monitoramento das mudanças de uso da terra relacionadas à transição de sistemas convencionais para sistemas de baixa emissão de carbono, preconizados pelo Plano ABC, tais como os sistemas integrados (ILP, ILPF)”, afirmou Margareth.

Para a pesquisadora da Embrapa Agrosilvipastoril de Sinop, especialista em tecnologia no campo, Laurimar Vendrúsculo, todos os dados são importantes para alimentar sistemas de informação. “Varias atividades de manejo do produtor são baseados no clima, na velocidade do vento. É um equipamento de fácil instalação e o custo é baixo se comparado ao benefício que traz ao produtor“, disse a pesquisadora.

Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: