Ministério da Agricultura reconhece produção orgânica em projeto de Agricultura Familiar

É a realização de um sonho”, disse entusiasmada a produtora rural Marecilda Ludwig Carvalho ao receber nesta sexta-feira (24), a declaração do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) que autoriza a venda direta de produtos orgânicos. Na propriedade de 2.2 hectares, no Assentamento Casulo, o processo de produção sem o uso de agrotóxico começou há pouco mais de um ano. “Durante todo esse tempo fizemos adequações e recebemos orietação técnica para produzir sem produtos químicos. Agora, com a declaração, tenho como provar que meu produto é orgânico. Muita coisa vai mudar”, comemorou a produtora.

O documento do MAPA autoriza ela e outros quatro pequenos produtores a comercializarem frutas e verduras orgânicas direto para o consumidor, ou seja, em feiras livres, para restaurantes e também para a rede municipal e estadual de ensino que utilizam os alimentos na merenda escolar.

Na propriedade do casal Adriana e Gilberto Gerevini, no Assentamento Jonas Pinheiro, 80% da produção é destinada para a merenda escolar do município. “Fornecer para a merenda é sinônimo de renda o ano inteiro. Além disso, é gratificante saber que os alunos estão consumindo produtos de qualidade”, disse orgulhosa Adriana.

Os produtores que formam a Associação dos Produtores Orgânicos de Sorriso (APOS) são os primeiros a produzirem organicos no município. Eles fazem parte do projeto Gente que Produz e Preserva do Clube Amigos da Terra, o CAT Sorriso, que tem como objetivo incentivar boas práticas na agricultura familiar. Os pequenos produtores recebem assistência técnica e aprendem conceitos da agroecologia como a rotação de cultura e a compostagem.

As atividades são concentradas na Unidade Demonstrativa que fica no sítio Nossa Senhora Aparecida no Assentamento Jonas Pinheiro. Mensalmente os integrantes do projeto se reúnem para receber assistência técnica de consultores do Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas em Mato Grosso, o Sebrae-MT e de técnicos do CAT. A ideia é que os produtores avancem para sistemas mais produtivos e sustentáveis e ainda potencializem os seus negócios.

O próximo passo da Associação dos Produtores Orgânicos de Sorriso (APOS) é a certificação por auditoria. Neste caso as propriedades passam por inspeções, seguindo procedimentos básicos estabelecidos por normas reconhecidas internacionalmente e, claro, adequadas à legislação brasileira. Com a certificação os alimentos terão um padrão de embalagens e um selo que garante a procedência orgânica podendo com isso ser vendidos aos supermercados. “Vamos trabalhar muito esse ano para que aumente a produção de orgânicos para que os produtores de Sorriso consigam com a certificação abastecer os supermercados da cidade e da região”, disse o consultor do Sebrae, Glaucinei Brissow Realto.

O engenheiro agrônomo do CAT, Rafael Borges, conta que a preferência por orgânico está crescendo a cada dia. “O consumidor está preocupado com a saúde. Por outro lado, nós também estamos preocupados com a saúde dos produtores”, afirma Rafael ao lembrar que na produção orgânica não se tem contato com os produtos químicos.

Receberam a declaração os produtores: Marecilda Ludwig Carvalho, Adriana Schneider Gerevini, Gilberto Gerevini, Maria Aparecida dos Santos e Hélio da Cruz. Para 2017 o projeto será ampliado para mais quatro famílias dispostas a produzir alimentos orgânicos.

O projeto “Gente que Produz e Preserva”, do Clube Amigos da Terra, o CAT, é desenvolvido em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE-MT) com apoio da WWF Brasil.

Contato

Produtores que queiram fazer parte do projeto podem entrar em contato com o Clube Amigos da Terra pelo telefone (66) 3544-3379 ou pessoalmente no escritório que fica no segundo piso do Sindicato Rural de Sorriso.
Visite também o nosso site www.catsorriso.com.br

Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: