Workshop reúne Ong’s que desenvolvem projetos de incentivo à produção de soja responsável

Representantes do Clube Amigos da Terra (CAT Sorriso) participaram em São Paulo, do workshop de encerramento dos projetos Soy Fast Track Found (SFTF) fase I e II. O encontro reuniu Organizações Não Governamentais (ONGs) que desenvolvem projetos em todo o país com foco na produção de soja responsável.

Durante dois dias, os participantes apresentaram seus projetos, falaram das dificuldades e traçaram estratégias para que eles não sejam interrompidos por falta de recurso. No Brasil, existem 20 projetos de fomento à produção sustentável de soja localizados nas principais regiões produtoras. Todos recebem verba do IDH, um fundo criado pelo Ministério da Agricultura da Holanda, para incentivar a produção de soja sustentável. No caso do projeto Gente que Produz e Preserva, 60% é bancado pela verba internacional holandesa, 30% pela ONG ambiental WWF Brasil e 10% do restante vêm da contra partida dos produtores que aderiram ao projeto. Para a diretora de sustentabilidade do CAT, Cynthia Moleta Cominesi, cada região tem sua particularidade, mas existem alternativas que podem servir para todos. “O nosso projeto ainda tem mais um ano de recurso do IDH, porém precisamos pensar agora em meios para mantê-lo no futuro. Vamos buscar novos parceiros para que o Gente que Produz e Preserva siga em frente”, explicou a diretora.

A necessidade de investir em projetos brasileiros surgiu depois que o Governo Holandês se comprometeu a só comprar soja responsável. Como o Brasil é referência na produção do grão, criou-se o fundo para incentivar a produção preservando os recursos naturais.

Para a Solidaridad e o IDH, a parceria com as ONGs brasileiras é uma oportunidade para fortalecer iniciativas de apoio aos produtores nas boas práticas socioambientais e de gestão, que permitem uma melhor produtividade; estímulo ao acesso a novos mercados e ainda melhoria da sustentabilidade da propriedade.

Hoje a produção de soja responsável já é uma realidade brasileira. Juntas, as lavouras com grãos certificados chegam a 1 milhão de hectares. Os produtores que buscam a certificação estão trilhando um caminho certo, buscando melhorias, redução do uso de produtos químicos na lavoura e controle biológico. Em Sorriso, nove propriedades foram certificadas no padrão RTRS (Round Table on Responsible Soy) e agora outras 20 fazendas foram inscritas para iniciar o processo de certificação.

Para a secretária executiva do CAT, Lenira Arsego, foram dias de bastante trabalho mais de muito aprendizado. “Voltamos com responsabilidade de dar andamento e ampliar o projeto Gente que Produz e Preserva. Temos mostrado dia a dia que somos parceiros dos produtores rurais e que produzir de forma responsável é o melhor caminho”.

Tanto o IDH quanto a Solidaridad buscam construir Parcerias Públicas Privadas (PPP) com empresas, ONGs, governos e outros parceiros com foco na promoção da sustentabilidade nas cadeias agrícolas.

Apoio

O projeto “Gente que Produz e Preserva” tem o apoio da WWF Brasil, Solidariedad, Bel e IDH.

Contato

Para fazer parte do projeto basta entrar em contato com o CAT pelo telefone (66) 3544-3379 ou ir pessoalmente até o Clube Amigos da Terra que fica na Av. marginal esquerda, no segundo piso do Sindicato Rural de Sorriso. As demandas também podem ser feitas pelo e-mail catsorriso2@catsorriso.com.br.

Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: