Novos produtores conhecem projeto de Certificação da Soja e manifestam interesse em fazer parte do grupo

Prestes a certificar nove propriedades de soja, no padrão RTRS, o projeto Gente que Produz e Preserva do Clube Amigos da Terra (CAT Sorriso) está de portas abertas para receber novos agricultores.

Desde 2013, o CAT com o apoio de entidades internacionais uniram forças para fomentar o desenvolvimento sustentável em Sorriso e outros municípios da região. O produtor que participa do projeto não tem custo algum com um diagnóstico que é feito na propriedade (e mantido em sigilo) sobre a situação atual da fazenda com relação a questões trabalhistas, manejo sustentável e adequação ao novo código florestal. Com melhoria na gestão, a consequência é a redução de custos de produção e a diminuição de riscos de processos trabalhistas.

Além disso as fazendas certificadas pelo projeto terão apoio para a comercialização da soja certificada por meio de contratos no mercado global. Atualmente cada tonelada de soja produzida em uma propriedade certificada representa um crédito. E cada crédito é comercializado hoje a U$ 2,5 dólares.
Outra vantagem para o produtor é a possibilidade de juros/taxas menores em bancos que apoiam a RTRS e claro um diferencial no preço da soja responsável.
Produzindo sem desmatar e cumprindo os indicadores do padrão RTRS o produtor melhora sua imagem que no passado era de destruidor da floresta para ser o principal conservador dela.

Foram esses benefícios todos que despertaram no administrador Luis Henrique Santi Martelli o interesse em fazer parte do projeto Gente que Produz e Preserva.
Ele administra a fazenda Nossa Senhora das Graças de propriedade do avó Fiorindo Martelli, no distrito de Primaverinha. Na fazenda são cultivados soja e milho em uma área de 2.200 hectares. Luís Henrique ficou entusiasmado ao saber dos benefícios da certificação e principalmente por não pagar nada por isso. “Os princípios e critérios estabelecidos pela RTRS já estão nas leis trabalhistas brasileiras. O produtor tem que dar condições para os colaboradores para que eles trabalhem satisfeitos. Quem não quer organizar a propriedade, ser bem visto e ainda receber por isso??”, concluiu o administrador.

Atualmente fazem parte do projeto as fazendas Jaborandi, São Felipe, Dakar, São Marcos, Santa Maria da Amazônia, Santana, Videirense, Cella e Berrante de Ouro. Juntas elas totalizam 21.500 hectares. Foram inseridas no programa de forma voluntária através de seus proprietários que se propuseram a atender os critérios exigidos pelo padrão de certificação da Mesa Redonda da Soja Responsável – RTRS.

A diretora de sustentabilidade do CAT, Cynthia Moleta Cominesi, afirma que os produtores só tem a ganhar fazendo parte do projeto. “A certificação RTRS é a mais conceituada do mundo. Eles valorizam os agricultores que produzem soja responsável.” Concluiu Cominesi.

Apoio

O projeto “Gente que Produz e Preserva” tem o apoio da WWF Brasil, Solidariedad, Bel e IDH.

Contato

Para fazer parte do projeto basta entrar em contato com o CAT pelo telefone (66) 3544-3379 ou ir pessoalmente até o Clube Amigos da Terra que fica na Av. marginal esquerda, no segundo piso do Sindicato Rural de Sorriso. As demandas também podem ser feitas pelo e-mail catsorriso2@catsorriso.com.br.

Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: