Pastagem, planejamento e adubação são assuntos discutidos com pequenos produtores em Dia de Campo

Foi na unidade demonstrativa (UD), que funciona na propriedade rural de Pedro Abraão, o sítio Benezer, que famílias do assentamento Jonas Pinheiro se reuniram  no primeiro Dia de Campo do Programa “Balde Cheio”.

Uma área de pastagem se transformou em sala de aula, onde técnicos passaram aos produtores  orientações sobre manejo de pastagem, planejamento e a importância da adubação. Três pilares fundamentais para tornar a propriedade ainda mais lucrativa.

O consultor da Cooperideal, credenciado  pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Juliano Alarcon, explica que o programa está dando aos assentados a oportunidade de tentar mudar a realidade da cadeia produtiva do leite. “Se eles seguirem as orientações técnicas, fizerem planejamento e monitoramento das ações e gastos, em breve eles vão ter retorno. Com pasto adequado, eles vão melhorar a qualidade do rebanho e automaticamente aumentar a produção de leite. Isso vai gerar lucro e o produtor poderá investir na propriedade”.

É nisso que seu Pedro Abraão e dona Arcilei estão apostando. O casal é proprietário da área onde foi realizado o Dia de Campo. A propriedade de 12 hectares tem atualmente 7 hectares de pastagem. São quinze vacas leiteiras que juntas produzem 120 litros de leite/dia. Com o programa a expectativa é, em 4 anos, mais que triplicar a produção. “Em 14 anos de trabalho, nunca recebemos orientações como as que estamos recebendo agora. A gente fazia o que achava que estava certo e nem sempre era a melhor alternativa. Queremos ao logo do projeto, que  nossa produção chegue a 500 litros/dia”, afirmou seu Pedro.

Na propriedade, foi feita análise de solo e o planejamento das ações. O engenheiro agrônomo do CAT, Rafael Borges, explica que o produtor precisa confiar nos técnicos para um melhor resultado. “Não adianta a gente vir aqui orientar e o produtor continuar fazendo a coisa errada. A gente está aqui pra ajudar e logo logo os resultados vão aparecer”.

Já a pareceria da Prefeitura garante a sanidade animal do rebanho. Segundo a veterinária da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Gisele Schewinski, eles acompanham o dia a dia das vacas e atuam sempre que preciso. “Além da assistência técnica, também fazemos exames, reprodução, inseminação. Tem ainda as consultas e quando o produtor compra as vacinas nos responsabilizamos pela aplicação”, completou.

O programa Balde Cheio é uma iniciativa promovida pelo Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas em Mato Grosso (Sebrae-MT), juntamente com o Clube Amigos da Terra (CAT), em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Sorriso, a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e a Prefeitura Municipal.

Além dos parceiros envolvidos, a execução do Balde Cheio – é mais uma ação do Projeto Gente que Produz e Preserva, do CAT Sorriso, conta com o apoio da  WWF Brasil, Solidariedad, IDH e Bel.

Também participaram do Dia de Campo o gerente regional do Sebrae-MT, Volmir Contreira e a veterinária responsável técnica do projeto pelo Sebrae, Samara Valera; a secretária executiva do CAT, Lenira Arsego e a coordenadora do projeto Cynthia M. Cominesi; o engenheiro Agrônomo do CAT; Rafel Borges, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Sorriso, Márcio Luis Kuhn; representante da Empaer, José Reis; o consultor credenciado da Embrapa, Juliano Alarcon;  representantes da Prefeitura Municipal, entre eles a Zootecnista Graciela Borella, o Engenheiro Agrônomo Paulo Oliveira Veloso e a veterinária Gisele Schewinski e representantes da Câmara Municipal de Vereadores, Dirceu Zanatta e Gerson Bicego;

Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: