Sorriso: famílias aderem ao Balde Cheio e ampliam expectativas

A qualidade de vida e os lucros da atividade rural, no assentamento Poranga, em Sorriso, vão melhorar a partir de agora para às famílias com atividade leiteira, que aderiram ao programa Balde Cheio. A iniciativa é promovida pelo Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas em Mato Grosso (Sebrae-MT), juntamente com o Clube Amigos da Terra (CAT), em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Sorriso e  Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer).

O programa foi lançado nesta quarta-feira (18), na sede da Cooperativa de Produção dos Produtores Rurais no Assentamento Jonas Pinheiro (Cooperjopi), onde 31 pessoas marcaram presença. No mesmo dia, o Balde Cheio contou com 24 adesões de produtores da Poranga e mais 2 do Projeto Casulo – o que não exclui a possibilidade de novas solicitações de inclusão no projeto. 

Unidade demonstrativa selecionada

O Balde Cheio, na Poranga, já conta com a Unidade Demonstrativa (UD), que funciona na propriedade rural de Pedro Abraão, o sítio Ebenezer, lote 119. O coordenador do programa (Sebrae-MT), Aureliano Pinheiro, explica que o local é selecionado com base nos critérios do programa. Lá será feita a capacitação e a troca de informações, onde funcionará uma verdadeira sala de aula, que serve de referência aos partícipes. 

As demais propriedades das famílias inscritas, chamadas de unidades assistidas, serão contempladas com a mesma transferência inédita de tecnologia. O que muda é que a UD servirá de piloto e ponto de encontro”. 

O gerente regional do Sebrae-MT, Volmir Contreira, frisa que o Balde Cheio visa melhorar a qualidade do rebanho e aumentar a produção do leite. “Trata-se de um programa consolidado, que existe há mais de 10 anos”. Já a secretária executiva do CAT Sorriso, Lenira Arsego, informa que serão feitos a correção do solo, formação e/ou recuperação da pastagem, manejos de pastagem e rebanho, ordenha e qualidade do leite.

Os participantes do assentamento estão entusiasmados, segundo a presidente da Associação Produtiva das Mulheres da Poranga, Margarida Pereira. “Vamos potencializar os negócios e até triplicar a produção de leite”, prevê.

Profissionais de “mão cheia”

Por meio do programa, além do acesso às técnicas que melhoram a qualidade do leite, os produtores do assentamento Poranga aprenderão como reduzir os custos. Com mudanças no manejo de pastagens e orientação de profissionais treinados é possível tornar a propriedade ainda mais lucrativa.

Isso é o que espera o produtor Francisco de Assis Pereira. Ele conta que a sua produção de leite não está dentro do esperado e, na tentativa de reverter a situação, resolveu integrar ao Balde Cheio. “Agora estou muito animado e confiante”, destaca.

A produtora Arcilei Abraão afirma que está animada em ver o Balde Cheio “sair” das telas da TV para chegar ao assentamento. “Sempre assisti matérias sobre o programa sendo desenvolvido em outros lugares. Agora que ele chegou aqui vamos mudar de vida”. Há mais de 10 anos na Poranga, Valdo Nascimento também se inscreveu no programa e pretende se tornar um verdadeiro “profissional do leite”.

Conforme Marcelo Rezende, presidente da Cooperideal (credenciada pela Embrapa), informou na palestra que o Balde Cheio permite o crescimento da produção leiteira com diminuição da área de pastagem e redução do desmatamento. Em Sorriso, o programa conta com o apoio técnico de Rafael Borges (CAT), José dos Reis (Empaer), e supervisão da consultora Samara Valéria (Sebrae).

Base sustentável

No assentamento Poranga o envolvimento de parceiras entre diferentes elos da cadeia produtiva do leite confere ao projeto uma base sustentável e dinâmica. Além dos parceiros envolvidos, a execução do Balde Cheio – que é mais uma ação do Projeto Gente que Produz e Preserva, do CAT Sorriso– , conta com o apoio da  WWF Brasil, Solidariedad, IDH e Bel.

 Além dos produtores, participaram do lançamento o gerente regional do Sebrae-MT, Volmir Contreira; a secretária executiva do CAT, Lenira Arsego; O Engenheiro Agrônomo do CAT; Rafel Borges, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Sorriso, Márcio Luis Kuhn; representantes da Empaer, José Reis e Selma Moraes; a presidente da Associação Produtiva das Muheres da Poranga, Margarida Fortunato; e representantes da Câmara Municipal de Vereadores, Gerson Bicego e Jane Delalibera. 

Rolar para cima
%d blogueiros gostam disto: