Estações abordam integração lavoura-pecuária, rotação de cultura e novas tecnologias

Novas tecnologias e sistemas de produção são os destaques do segundo dia de programação do 3º Encontro Regional de Sistemas Produtivos, realizado em Sorriso (MT). Nesta terça-feira (29), cerca de 600 visitantes participaram das palestras divididas em seis estações.

Entre os sistemas integrados de produção, destaque para o Consórcio milho e brachiária. De acordo com o pesquisador da Embrapa, Alexandre Ferreira da Silva, entre os benefícios da técnica estão maior cobertura do solo, formação de palhada e redução da presença de nematoides na lavoura. “O sistema tem rendido resultados satisfatórios para o produtor. O milho associado à brachiária tem aumentado os índices de produção, além de deixar benefícios para a soja como a palhada que gera maior umidade no solo e consequentemente mais rendimento no grão”, afirmou Silva.

Entre os sistemas integrados de produção, destaque para o Consórcio milho e brachiária. De acordo com o pesquisador da Embrapa, Alexandre Ferreira da Silva, entre os benefícios da técnica estão maior cobertura do solo, formação de palhada e redução da presença de nematoides na lavoura. “O sistema tem rendido resultados satisfatórios para o produtor. O milho associado à brachiária tem aumentado os índices de produção, além de deixar benefícios para a soja como a palhada que gera maior umidade no solo e consequentemente mais rendimento no grão”, afirmou Silva.

Outro sistema que tem avançado no cenário rural é a integração lavoura-pecuária. De acordo com o pesquisador da Embrapa Flávio Jesus Wruck, a técnica ainda é utilizada em pequena escala em Mato Grosso, mas começa a ganhar mais espaço conforme os pecuaristas adquirem mais informações sobre o sistema. “A técnica é um bom negócio, mas encontra resistência devido à falta de informação do pecuarista, falta de mais profissionais técnicos qualificados na área, além do que, é necessário também quebrar alguns paradigmas. Em Alta Floresta temos uma propriedade na qual o ‘boi safrinha’ obteve lucro maior do que a produção de soja, com uma renda líquida de R$ 812 por hectare com o boi. Na pecuária tradicional esse lucro não chega a R$ 200 por hectare”, destacou Wruck.


O 3º Encontro Regional de Sistemas de Produção é realizado pelo CAT e Sindicato Rural de Sorriso em parceria com a Embrapa. Tem apoio da AMPA, Prefeitura Municipal de Sorriso, IMEA, Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Câmara Municipal de Sorriso, Sim Consult e FAMATO.

Patrocinam o evento Senar/MT, Aprosoja, Agrisus, Cooami, Agroeste, Dow Agrosciences, Dimicron, Case, FMC, Syngenta, Nortox, Valtra Pampa, Agro Amazônia, Agro Baggio, Basf, Bayer, ADM, WWF Brasil – IDH Solidariedad, Sementes Adriana, Ihara e Sicredi.

Rolar para cima
×
%d blogueiros gostam disto: